Gloxinia (Sinningia speciosa)

Escrito por


Nome botânico: 
Sinningia speciosa (Lodd.) Hiern.
Sin.: Gloxinia speciosa Lood., Ligeria speciosa Decme.

Nome popular: gloxínia

Família : Angiospermae – Família Gesneriaceae

Origem: Brasil

Descrição:

gloxiniaPlanta herbácea perene de altura em torno de 25 cm, com folhas saindo diretamente do tubérculo.
As folhas são grandes, de longo pecíolo carnoso, com textura aveludada.

As flores são grandes, campanuladas, simples ou dobradas solitárias em longos pedúnculos.

Devido às diversas hibridações encontram-se em diversas cores, como brancas, creme, roxas, púrpura, pintalgadas e matizadas.

É uma planta que requer alguns cuidados, mas pode ser cultivada no país todo.

Modo de Cultivo :

É uma planta de vaso, cultivada quase sempre em estufas e adequada ao cultivo dentro de casa.

O local deve ter muita luminosidade natural, com sol pela manhã para que possa florescer.

Está à venda em hortos e floriculturas, até em supermercados e já vem florida, possibilitando escolher a cor da preferência.
No outono ela perde as folhas entrando em dormência.

Retira-se o tubérculo da terra, coloca-se em local arejado e seco.
A sugestão é uma caixa de sapatos, enrolando em papel onde se escreve a cor das flores.

Na primavera, preparamos o vaso com substrato feito de adubo animal curtido, de gado ou aves, cerca de 100 gramas por vaso, misturado a composto orgânico ou húmus de minhoca.

Acrescentar 1 colher de sopa de adubo granulado tipo NPK formulação 4-14-8. Misturar bem.

Forrar o fundo do vaso com um pedaço de manta geotêxtil e espalhar areia úmida, isto vai garantir a drenagem da água das regas.

Colocar o substrato preparado. Fazer um buraco, colocar o tubérculo e colocar por cima uma camada leve de substrato, sem enterrar nem apertar. Regar o substrato.

Deixar em local de temperatura cálida e com muita luz.

As folhas brotarão e a planta florirá, iniciando novo ciclo.
Durante seu tempo de floração não há necessidade de mais adubação.

Regar quando o substrato começar a secar, mas não encharcar.

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: kafka4prez, Juan Barrios