Erva cidreira brasileira (Lippia alba)

Escrito por

Nome botânico: Lippia alba(Mill.)N.E.Br.

Sin.: Lantana molissima Does, Lippia geminate H.B. Kunth, entre outros

Nome popular: erva-cidreira, salva-do-Brasil, falsa-melissa, salva, alecrim-selvagem.

Angiospermae – Família Verbenaceae

Origem: nativa do Brasil e América do Sul.

Descrição

erva cidreira
Planta arbustiva de formato irregular, e altura entre 2,0 a 3,0 metros, muito ramificada, com longos ramos finos quadrangulares quando novos.

Suas folhas pequenas são levemente pubescentes, ovais de margens serrilhadas, que desprendem odor que lembra a cânfora quando esmagadas.

As flores são bem pequenas na cor rosa com cálices pilosos e reúnem-se em inflorescências terminais.

Após as flores há formação de frutinhos secos do tipo aquênio que têm sementes do tamanho de um grão de mostarda.

O florescimento ocorre durante o ano, principalmente na primavera. Pode ser cultivada em todo o país.

Como cultivar a Lippia alba

Em estado selvagem é encontrada em solos arenosos margeando cursos d’ água e no litoral.

Os ramos da erva cidreira enraízam naturalmente ao tocar no solo, sendo facilmente utilizados para propagação vegetativa, mostrando seu caráter invasor.

Propagação por sementes e por estacas de ramos em qualquer época do ano.

A cultura não é exigente em fertilidade do solo, mas desenvolve melhor em solos com bom teor de matéria orgânica e alguma umidade.

Uso medicinal

 chaO óleo essencial contido em folhas e flores contém saponina, citral, cariofileno, carvona e limoneno.

Indica seu uso como fitoterápico como expectorante nas tosses causadas por gripes e resfriados.

É tradicional seu uso como chás na medicina caseira também como calmante e analgésico.

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: João de Deus Medeiros, João de Deus Medeiros