Reciclagem de materiais – o pvc!

Escrito por

 

Pode-se dizer que o PVC é um material simples de ser reciclado, principalmente na primeira fase, a coleta.

O PVC é facil de ser visualizado, como material solido e inodoro pode ser catado sem perigo.

Facil tambem de ser transportado e armazenado, porque não necessita de transporte ou patio de deposito especiais.

Ajudando a reduzir os problemas ambientais e de saúde pública, assim como os econômico-sociais decorrentes da disposição inadequada de resíduos sólidos.

Quando os resíduos são dispostos em aterros sanitários ou industriais, a reciclagem contribui para minimizar a quantidade dos resíduos aterrados, o que aumenta a vida útil desses locais de disposição.

Caracteristicas da reciclagem do PVC

Uma vez separado, o PVC não apresenta, por si só, nenhum problema para ser reprocessado.
O resíduo de PVC, sem a inclusão de outras resinas, pode sofrer a incorporação de aditivos como plastificantes, estabilizantes e outros.
A reciclagem do PVC separado, como ilustrado no fluxograma esquemático, pode ser subdividida nas seguintes etapas:

Triagem manual;

Moagem, lavagem e secagem;

Mistura/aglutinação;

Extrusão e granulação;

Transformação em um produto acabado por processos convencionais de conformação.

Atualmente, no Brasil, a reciclagem mecânica do PVC separado é realizada tanto para o PVC flexível quanto para o rígido.

De forma geral, estes “compostos” são divididos em três grandes grupos, conforme a sua aplicação, quais sejam “rígido”, “flexível” e “plastisol”.
Na reciclagem, no entanto, adota-se a divisão em apenas dois grupos, “rígido” e “flexível”, que são diferenciados pelos recicladores através do ensaio de dureza Shore A, na forma abaixo:

Resíduo de PVC flexível: dureza abaixo de 90 Shore A;

Resíduo de PVC rígido: dureza acima de 90 Shore A.

Uma das dificuldades do processamento do resíduo não misturado de PVC reside nas perdas por degradação do material, que podem ser evitadas através de uma nova incorporação de aditivos.
No entanto, como estes aditivos aumentam o custo final do produto, tornou-se prática comum a adição de pequena parcela de um outro resíduo, contendo o aditivo necessário.

Reciclagem do PVC “Flexível”

A matéria-prima utilizada para esta reciclagem é o resíduo ou sucata de PVC flexível (dureza abaixo de 90 Shore A).

É freqüente a adição de plastificantes, como o DOP – dioctil-ftalato, que tem como objetivo promover um ajuste na dureza do produto a ser obtido).

A moagem é o primeiro passo e consiste em reduzir o tamanho do resíduo de PVC.

A lavagem faz-se necessária, principalmente se o resíduo for urbano e estiver sujo ou contaminado. Havendo possibilidade, o ideal é evitar esse procedimento.

A etapa de secagem faz-se também necessária, a fim de reduzir a umidade do PVC, que deve ser processado com teor menor que 1%, para que possa seguir o seu fluxo no processo de extrusão.

O processamento faz-se num aglutinador, que é um tipo de misturador com hélices paralelas, onde o aquecimento é gerado pelo atrito entre estas hélices e o PVC.
Nesse processo, o material se aglomera formando partículas maiores, aumentando sua densidade aparente (relação massa por volume).
É comum os recicladores aproveitarem esse equipamento para completar a secagem do PVC.